A Bruxa Recomenda: Animes de 2016

recomendacoes-2016

Para você colocar na lista (e ver, lógico).

2017 chegou (faz mais de um mês, ops), assim como a temporada de inverno, que costuma ser mais fraquinha que as outras três que vem depois. Então, é boa hora para ver o que o ano passado teve de bom. Eis uma listinha de animes que eu vi ao longo de 2016 e gostei o suficiente para recomendar. Não é um “top” ou coisa parecida, só algumas indicações de obras que achei que merecem um destaque.

Showa Rakugo Genroku Shinjuu

bakedfish-shouwa-genroku-rakugo-shinjuu-09-720paac-mp4_snapshot_14-16_2016-03-09_20-54-35

Direção: Mamoru Hatakeyama (Sankarea, Rozen Maiden 2013)

Baseado em: Mangá, por Haruko Kumota

Estúdio: DEEN

O estúdio DEEN vem entrando numa fase de ouro e esse anime é a verdadeira prova disso. É por muitos considerado como melhor do ano, o que é totalmente justo. A trama começa nos anos 60 com um ex-presidiário, Youtarou, que depois de terminar de cumprir sua pena vai atrás de Yakumo, um mestre de Rakugo (um tipo de apresentação cômica tradicional japonesa, em que o artista fica sentado, narra uma história e tem que interpretar diversos personagens com apenas a ajuda de um leque), afim de obter seus ensinamentos. Isso por que, ao ver uma de suas apresentações na prisão, Youtarou ficou comovido e se dispôs à mudar seu estilo de vida. No começo parece que o anime vai ser basicamente sobre Yotaro tentando convencer que pode aprender, mas logo no segundo episódio, começa o longo flash-back contando a história de vida de Yakumo, que se estende até o fim da temporada.

Showa Rakugo está longe de ser o anime mais bem animado do ano, mas você nem vai se importar com isso devido ao poder da direção de Mamoru. Apesar de ser pouco conhecido, ele trabalhou na Shaft como diretor de episódios, e essas influências de estilo ficam bem claras em Rakugo (mesmo que não causem a mesma estranheza). Seu talento brilha principalmente na hora guiar as apresentações. Outro que merece destaque é o dublador Ishida Akira, que faz Yakumo. Mesmo para quem não costuma reparar em dublagem, fica claro como o trabalho dele foi excepcional nesse anime.

Além de uma história de vida completa da vida de um homem, Showa Rakugo é sobre uma arte que está enfrentando a passagem de tempo, e tem que escolher entre se adaptar ou seguir firme com as tradições. Algumas pessoas podem ter dificuldades em gostar anime, afinal é um drama parado e que não tenta provocar lágrimas ou coisa parecida, mas é uma obra muito rica e que recebe elogios por mérito sem sombra de dúvidas.

Concrete Revolutio: Last Song

concrete-revolutio-15-1280x720-hevc-aac-mkv_snapshot_02-26_2016-12-11_19-36-29

Direção: Seiji Mizushima (Fullmental Alchemist 2003, UN-GO)

Baseado em: Original, roteiro por Aikawa Shou (Fullmetal Alchemist 2003, UN-GO)

Estúdio: BONES

Primeiro anime do BONES da lista, porque eu sou fã do estúdio. Como Last Song é uma segunda temporada (a primeira passou em Outubro de 2015), isso implica recomendar a primeira também, lógico. Num tempo em que tivemos animes “de heróis” populares como One Punch Man e Boku no Hero Academia, Concrete Revolutio pode ter ficado meio apagado, mas isso não significa que a série não mereça uma olhadinha.

Concrete Revolutio gira em torno de uma premissa simples: “Se super humanos protegem os humanos, então quem vai protegê-lo?”. Num mundo em diversos indivíduos fantásticos (fantasmas, yokais, alíens, androides, o que for) coexistem, seguimos Jiro, um membra da organização governamental chamada Secretária de Super Humanos, que tem como dever ajudar e gerir aqueles que fogem do que define um humano normal. Mas como já revelado logo no primeiro episódio, Jiro em algum ponto deixa a Secretária, e ao longo da primeira temporada descobrimos o porque. Já a segunda parte, Last Song, se foca justamente no que acontece depois desse salto de tempo.

Contrete Revolutio é um anime que pode vir à ser meio complicado de acompanhar por certos fatores, como esses soltas constantes de épocas. Apesar de ser uma série episódica, ela tem uma continuidade, mas nem sempre cronológica (mesmo que isso seja aliviado na segunda temporada). No entanto, o anime tem muitos aspectos interessantes à oferecer: seguimos Jiro e mais diversos personagens durantes vários anos, num ambiente equivalente aos anos 60 e 70 do Japão. A grande parte do elenco, inclusive, é baseado em obras de ficção dessa época (veja link no fim do post).

Mas o que faz Concrete Revolutio realmente se destacar é como o anime é uma grande discussão sobre justiça, com seus personagens constantemente mudando de lado, se perguntando se o que estão fazendo é certo ou não, ou se “fazer o certo” sequer existe. Aikawa Shou é um roteirista um polêmico e é entendível porque muitos odeiam o trabalho dele, mas ainda aprecio muito suas ideias para esse tipo de série.

Além disso, por mais que Concrete Revolutio não seja um marco de animação como o próximo da lista, é o anime no qual o animador estrela da BONES, Yukata Nakamura, mais trabalhou recentemente. Todas as cenas de ação dele saltam aos olhos e carregam o seu estilo distinto. Definitivamente vale a pena dar uma chance para a série.

Mob Psycho 100

horriblesubs-mob-psycho-100-03-720p-mkv_snapshot_17-26_2016-07-26_00-29-02

Direção: Yuzuru Tachikawa (Death Parede/ Billiards, assistente em Zankyou no Terror)

Baseado em: Mangá, por ONE (One Punch Man)

Estúdio: BONES

Pra quem me conhece, não deve ser nenhuma surpresa: Mob Psycho 100 foi o meu anime favorito de 2016. Honestamente, eu considero como uma das melhores demonstrações do que os novos talentos da indústria podem fazer, tanto como criadores originais (ONE), diretores (Tachikawa e outros da BONES) e animadores (simplesmente muitos para listar).

Mob Psycho 100 segue a vida de Kageyama Shigeo, apelidado de Mob, um menino de quatorze anos com habilidades psíquicas extremamente poderosas. No entanto, ele as usas apenas para ajudar seu “mestre”, Reigen (que na verdade é um farsante) para realizar exorcismos. No fundo, tudo que ele quer é o que todo adolescente da sua idade também gostaria (popularidade, boas notas e a atenção da garota que ele gosta).

O anime é um dos trabalhos mais polidos da BONES em anos (e sim, isso é muita coisa), entregando uma animação não só muito boa, mas criativa, usando desde recursos digitais (a conhecida “webgen”, de animadores que trabalham direto no computador) desde pintura à óleo. Além do que, depois de trabalhar em Zankyou no Terror e Death Parade, Tachikawa se mostrou extremamente versátil adaptando um mangá com uma pegada completamente diferente.

Vindo do primeiro mangá profissional do ONE, que ficou conhecido por One Punch Man, Mob também tem uma história que vai mais fundo em certas temáticas que seu antecessor. A confusão da adolescência, o questão se ter poderes te faz mesmo especial, se é certo usar esses poderes para ganho próprio… a série é bem rica nesse sentido. Então, se você acha que anime chamou atenção só pelo refino na animação, está redondamente enganado. Com certeza um anime que vai ser lembrado por um tempo.

Fune wo Amu

commie-fune-wo-amu-02-dfaf3d5d-mkv_snapshot_02-49_2016-10-21_22-38-47

Direção: Toshimasa Kuroyanagi (Say I love you, Shounen Hollywood)

Baseado em: Livro, por Shion Miura

Estúdio: ZEXCS

Assim como toda a mídia, anime tem seus chiches e tendências. No entanto, ainda podemos ter uma obra sobre praticamente qualquer coisa, e essa história sobre um editor de dicionários prova isso só por existir. Sendo mais uma adaptação de livro best-seller do bloco NoitaminA, Fune wo Amu segue a vida de Hajime assim que ele é direcionado no trabalho para editar um dicionário, A Grande Passagem.

Fune wo Amu me convenceu que o trabalho de Toshimasa Kuroyanagi merece atenção nos próximos anos: é provavelmente o trabalho de animação mais caprichado do ZEXCS em tempos, com grande atenção ao detalhes e sutilezas. Não é uma algo chamativo como os sakugas de Mob, mas mais próximo do realismo. Além de conseguido manter uma produção desse nível, o gosto dele pelo mundano de Toshimasa conseguiu fazer mesmo cenas simples e cotianas terem sua magia, graças aos storyboards sempre interessantes.

Fune wo Amu toca num ponto pouco visto em histórias em geral: comunicação, a dificuldade de se expressar. Talvez seja uma trama simples e chata demais para alguns, principalmente se você prefere algo mais movimentado, mas com certeza é um tipo de anime que além de aparecer raramente, é bem feito e merece valor.

Yuri!!! on Ice

horriblesubs-yuri-on-ice-02-720p-mkv_snapshot_04-54_2016-10-12_23-11-23

Direção: Sayo Yamamoto (Michiko to Hatchin!)

Baseado em: Original, roteiro por Mitsurou Kubo (Again!!)

Estúdio: MAPPA

Por ser um dos animes mais populares do ano passado, YoI nem precisaria estar na lista, mas como eu gostei bastante da série, me sinto obrigada à colocá-lo aqui. Se você ainda não conhece (duvido), aqui vai o que precisa saber: Yuri!!! on Ice é um anime original feito numa colaboração entre a diretora Sayo Yamamoto e a mangaka Mitsurou Kubo. Seguimos o patinador japonês profissional Yuuri Katsuki, que depois de ficar em ultimo lugar no Grand Prix, tem a chance novamente de salvar sua carreira com a ajuda de um novo técnico: a lenda Victor Nikiforov, que não por acaso, também foi ídolo que fez Yuuri se apaixonar pelo esporte.

YoI ficou conhecido por atrair o público fujoshi por ter uma relação romântica real entre seus protagonista (ainda que isso tenha gerado muitas discussões ao longo da transmissão da série), mas é lógico que tem mais nele além disso. Além de tocar num tipo de esporte artístico e individual, o que já algo raro em animes (até porque shounens, que são a base de adaptação desse subgênero, valorizam o trabalho em equipe), focar-se num campo profissional deu um toque de ar fresco em YoI. Temos três personagens em fases distintas de sua carreira: Yuuri que até aquele momento havia fracassado, tentando se reerguer, Victor que já conquistou tudo que tinha para ser conquistado e tenta retomar a paixão, e Yuri (o russso), um novato genial mas que logo pode ser prejudicado pela mudança no próprio corpo.

Outra coisa que fez eu criar gosto pela série foi focar nos problemas emocionais do Yuuri, principalmente ansiedade, sendo superados com ajuda das pessoas ao seu redor fez a série esquentar alguns corações. Afinal, como já diz no título (“Ice” tem a mesma pronuncia de “愛す/aisu”, amar), é sobre amor, e de vários tipos. A série peca por alguns problemas grandes na produção (que prejudicaram a animação da série), além de outras escolhas estruturais, mas ainda é uma recomendação sólida. E que venha a segunda temporada!

Doukyuusei

nohomo-doukyuusei-bd1080p-flac-mkv_snapshot_00-01-05_2017-01-30_11-33-14

Direção: Shouko Nakamura (Diretora de episódio em Mawaru Penguindrum)

Baseado em: Mangá, por Asumiko Nakamura (Utsubora)

Estúdio: A-1 Pictures

Este é um blog de fujoshi, então recomendar um BL é meio que obrigatório, e Doukyuusei é escolha perfeita. Esses filmes de animes com um orçamento e tempo menor tem ficado mais comuns, e pelo visto vale a pena sim dar uma olha em alguns deles. Shouko Nakumara, que já trabalhava com Ikuhara em Mawaru Penguindrum teve a chance de fazer sua estréia como diretora nesse anime charmoso, adaptação do já premiado mangá de Asumiko Nakamura, então devemos só ver e apreciar.

Doukyuusei é uma história simples de dois garotos, Sajou e Kusakabe. O primeiro é um estudante de notas perfeitas, o segundo é guitarrista numa banda. Os dois não costumam nem se falar, até Kusakabe acaba que por acaso ajudando Sajou à cantar numa apresentação, e bam!, a paixão vem. Ao longo do filme, vamos acompanhando o relacionamento entre dos dois: brigando, ficando mais próximos, lidando com ciúmes, coisas da idade.

O anime tem só uma hora de duração, mas é dividido em quatro histórias curtas que cobrem um ano da vida dos meninos. Normalmente, romances terminam justamente quando o protagonista se declara para quem gosta, mas em Doukyuusei isso acontece logo na primeira parte, dando foco também à outras etapas do relacionamento, o que é particularmente interessante. O fato de todos serem sobre os dois resolvendo alguma briga ou desentendimento pode parecer um pouco repetitivo, mas a história ainda sucede em ser um romance coming of age charmoso.

Visualmente, o dinheiro limitado não impediu que Doukyuusei de ser impressionante: os fundos são feitos numa aquarela delicada, e a adaptação dos designs de Asumiko não poderiam ser melhores (bem, só pelas imagens acima você já pode ter uma ideia do quão bonito estamos falando). Normalmente eu diria “é um bom BL mesmo para quem não é chegado ao gênero”, mas honestamente eu sei que esse tipo de desculpa nunca cola, então tanto faz. Veja quem quiser algo curtinho para esquentar o coração.

 

LEITURAS COMPLEMENTARES:

As muitas, muitas referências de Concrete Revolutio

One Punch Man e Mob Psycho 100: Indo de um à cem

E que 2017 traga mais bons desenhos japoneses para animar um pouco essas vidas tristes.

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s